registro de marcar

Com a adesão do Brasil ao Protocolo de Madri para proteção de marcas, muitas possibilidades serão criadas para as nossas empresas.

No XIII CODAIP, realizado nos dias 4 e 5 de novembro, evento sobre Propriedade Intelectual, foi debatido sobre a possibilidade de expansão da proteção de marcas ao mercado internacional, devido a adesão do Brasil ao Protocolo de Madri.

O Protocolo abrange 122 países, que correspondem a 83% do mercado mundial.

Dessa forma, havendo objetivo de exportação de seu produto ou serviço, é prudente buscar uma estratégia de proteção internacional de sua marca.

Diferente do que acontecia antes dessa adesão, agora o pedido é realizado de uma só vez, e aqui no Brasil. Tudo em um único idioma, uma taxa uniformizada e em pagamento único (também com moeda única), sem a necessidade de buscar escritórios especializados em cada país que se pretenda o registro.

Assim, o procedimento para proteção de marcas ganha em velocidade de análise e imensa redução de custos.

Como exemplo, uma empresa de serviços odontológicos que apresentou seu case no evento apurou que em 2017 realizou despesa de aproximadamente R$ 92.300,00 para registro de sua marca em alguns países. Caso fosse realizar a mesma proteção hoje, reduziria suas despesas para algo em torno de R$ 19.800,00.

Um destaque é necessário: com a adesão ao Protocolo, muitas empresas do exterior terão a mesma facilidade para registrar suas marcas aqui no Brasil.

Logo, é necessário que o empresário brasileiro não demore para fazer o registro de sua marca, porque poderá ser obrigado a mudá-la caso alguém tenha registrado antes.

Portanto, busque assessoria especializada para o estudo das melhores estratégias, que poderá trazer reconhecimento e proteção duradouras à sua marca.

Posts Recomendados